As Histórias Por Trás Do Álbum Lover

As histórias por trás do álbum Lover de Taylor Swift 

Lover é o sétimo álbum de estúdio de Taylor Swift. Ele foi lançado em 23 de agosto de 2019, através da Republic Records.

“Carta de amor ao amor próprio”

É assim descrito pela cantora seu álbum Lover, um álbum que apresenta seu lado pessoal e vulnerável, conectando-a com seus fãs e mostrando seus pontos fortes como artista, além de canalizar sua vida pessoal reajustada e a libertação de sua percepção pública.

Diferente de seu álbum anterior; Reputation, que tratava de problemas mais obscuros, Lover celebra todo o espectro do amor, usando tons claros e brilhantes.

 

O álbum foca principalmente em sentimentos do amor, como paixão, compromisso. Alguns discutem questões  contemporâneas dos Estados Unidos.

O cantor Brendon Urie e a banda The Chicks são as únicas participações do álbum.

Críticas, vendas, indicações

Lover teve muitas análises positivas de críticos musicais, eles elogiaram as composições de Swift por transmitirem maturidade emocional e evolução artística.

Foi incluído em diversas listas de melhores álbuns de 2019 e recebeu diversas indicações em premiações, incluindo Melhor Álbum Vocal Pop na 62ª edição do Grammy Awards.

Comercialmente, foi igualmente bem recebido, liderado as tabelas de 17 nações, como Austrália, Canadá, Espanha, Irlanda, Nova Zelândia, Portugal, e Reino Unido.

Nos Estados Unidos, debutou no topo da Billboard 200, com 867 mil unidades vendidas, marcando o sexto número um de Swift e a tornando a primeira artista feminina a ter seis álbuns a venderem acima de 500 mil cópias em uma única semana.

O único álbum a vender 1 milhão de cópias em 2019, e foi certificado como platina dupla pela Recording Industry Association of America (RIAA).

Mundialmente, foi o álbum de estúdio mais vendido de 2019, registrando cinco milhões de unidades até agora.

Cinco singles tiveram maior destaque “Me!”, “You Need to Calm Down” e “Cruel Summer” sendo que o último citado “Cruel Summer” foi seu décimo single a liderar a estadunidense Billboard Hot 100, em 2023, quatro anos após seu lançamento original.

A divulgação de Lover consistiu em apresentações feitas em diversas cerimônias de premiação, como MTV Video Music Awards e o Billboard Music Awards, além de programas televisivos, como Saturday Night Live e o The Voice.

A artista até anunciou que embarcaria na Lover Fest, sua sexta turnê, com datas sendo anunciadas para 2020, mas, por conta da pandemia do COVID-19, foi cancelada.

Gravações

As gravações do disco ocorreram entre novembro de 2018 a fevereiro de 2019, em diversos estúdios nos Estados Unidos, Nova Zelândia e Reino Unido sob a produção musical da própria cantora juntamente a Jack AntonoffJoel LittleLouis Bell e Frank Dukes, sendo que Swift participou ainda da composição de todas as faixas e serviu como produtora executiva do álbum.

O álbum foi gravado durante três meses, a maior parte do álbum foi gravada no Electric Lady Studios em Nova Iorque.

 Swift disse que abordou as gravações como se estivesse fazendo apresentações ao vivo, e que grande parte do álbum foi registrado em um único take.

Em uma entrevista de janeiro de 2020 para Chris Willman, jornalista da Variety, Swift revelou que sua música “Only the Young”, de seu documentário da Netflix, Miss Americana, estava inicialmente cogitada para ser incluída em Lover.

A artista concebeu Lover a partir de um “lugar aberto, livre, romântico e caprichoso” de seu íntimo; ela acrescentou que o álbum parecia-lhe “esteticamente muito diurno”, enquanto seu antecessor, Reputation, soava com “toda a paisagem urbana, escurecido”.

Ela compôs sozinha três faixas “Lover”, “Cornelia Street” e “Daylight”; o restante foi co-escrito com os produtores.

“Eu estava sentada tocando piano na minha casa e veio o refrão. Isso meio que aconteceu de repente. Foi um daquelas (músicas) que escrevi muito, muito, muito rápido. Essa seria para mim menos uma ponte de discursos e mais uma ponte do tipo fábula. Às vezes eu gosto de imaginar uma ponte como uma espécie de fábula de conto de fadas, transformando-a em uma música que não foi tão detalhada até aquele momento”.

Ela co-produziu todas as músicas e atuou como a única produtora executiva do projeto. Swift também destacou que todas as canções de Lover foram escritas especificamente para integrá-lo, sem sobras de outros trabalhos; citando “This Love” como exemplo, que ela havia escrito para Red, mas acabou sendo incluído em 1989.

Ao colaborar com percussão para a faixa “Paper Rings”, Lover tornou-se seu primeiro álbum desde 1989 em que ela participou ativamente de gravações instrumentais.

Swift descreveu o álbum como uma “carta de amor ao amor próprio, em toda a sua glória enlouquecedora, apaixonante, emocionante, encantadora, horrível, trágica e maravilhosa”

Embora os protagonistas das músicas de Reputation sejam personagens exagerados que Swift criou como reação às controvérsias, os de Lover são de uma perspectiva honesta e alegre, inspirada em sua recém descoberta do “amor que era muito real”.

 Apesar de tratar o amor como sua temática central, Swift o concebeu como um álbum romântico; além de canções alegres, inclui outras sobre tristeza ou solidão, que ela acreditava poder se sentindo “através de um olhar apaixonado”.

Os críticos de música notaram Lover como o retorno da artista à sua tradição de compor sobre o amor e intimidade emocional após os pontos de vista antagônicos de seu disco antecessor, representando sua confiança, bem como sua libertação artística e pessoal.

“Reputation estava tão distante do que eu costumo fazer. Lover parece um retorno aos pilares fundamentais de composição sobre os quais costumo construir minha música. É realmente honesto,  não sou eu interpretando um personagem. É realmente como me sinto, não destilada. E há muitas admissões muito pessoais nele. E também, eu amo uma metáfora. Você sabe, todo o Reputation era apenas uma metáfora, mas este é um disco muito pessoal.”

 


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *